O Estrangeiro e o Vendedor de ossos

Esboço.

O VENDEDOR DE OSSOS

(Com um revólver) Parem, por Deus. (Pausa) Vou atirar.

O ESTRANGEIRO

Ledo engano. Não é possível.

O VENDEDOR DE OSSOS

O que?

O ESTRANGEIRO

Não é possível atirar. Quase nenhum homem sabe atirar.

O VENDEDOR DE OSSOS

O que?

O ESTRANGEIRO

Quase nenhum homem sabe atirar.

O VENDEDOR DE OSSOS

Basta apertar o gatilho.

O ESTRANGEIRO

Ledo engano.

O VENDEDOR DE OSSOS

O que? (Pausa) Vou atirar.

O ESTRANGEIRO

Aí reside o erro. Para atirar (matar alguém)… para atravessar o corpo de alguém com uma bala… o atirador precisa saber… precisa saber que este alguém já é um morto mesmo antes de atirar.

O VENDEDOR DE OSSOS

O que?

O ESTRANGEIRO

Um tiro… um tiro num corpo é apenas um paliativo para a comprovação da morte.

O VENDEDOR DE OSSOS

Eu vou matá-la. Eu sei. Eu vou matá-la.

O ESTRANGEIRO

Não adianta matá-la.

O VENDEDOR DE OSSOS

Ponho sobre a mão o revólver. Miro. Atiro. Num segundo ela estará morta. Para sempre. Num segundo restará somente um cadáver.

O ESTRANGEIRO

E depois?

O VENDEDOR DE OSSOS

O que?

O ESTRANGEIRO

O que vem depois?

O VENDEDOR DE OSSOS

Só silêncio.

O ESTRANGEIRO

Um copo d’água? Você quer um copo d’água?

O VENDEDOR DE OSSOS

Não tenho sede.

O ESTRANGEIRO

Mentira. Você está sedento.

O VENDEDOR DE OSSOS

Não sei.

O ESTRANGEIRO

Um chá? Você quer um chá?

O VENDEDOR DE OSSOS

Uma puta. Quero uma puta fuçando minhas tripas.

O ESTRANGEIRO

Só isso?

O VENDEDOR DE OSSOS

Só?

O ESTRANGEIRO

Uma metralhadora? Você quer uma metralhadora?

O VENDEDOR DE OSSOS

Não.

O ESTRANGEIRO

Um café. Você quer um café? Atire.

O VENDEDOR DE OSSOS

O que?

O ESTRANGEIRO

Atire. Foi o que eu disse. Atire.

O VENDEDOR DE OSSOS

Não posso.

O ESTRANGEIRO

Por quê?

O VENDEDOR DE OSSOS

Não sei atirar.

O ESTRANGEIRO

Meu Deus…

O VENDEDOR DE OSSOS

Que foi?

O ESTRANGEIRO

O pai.

O VENDEDOR DE OSSOS

O pai morreu. Faz tempo.

O ESTRANGEIRO

Não.

O VENDEDOR DE OSSOS

Numa tarde o pai deitou-se na cama. Com febre. O pai chamou nossa mãe. Tomou um gole d’água. E morreu.

O ESTRANGEIRO

Uma noite. Fazia calor aquela noite. O corpo rangia. Eu disse: vou embora.

O VENDEDOR DE OSSOS

Para onde?

O ESTRANGEIRO

Não sei.

O VENDEDOR DE OSSOS

E depois?

O ESTRANGEIRO

Não sei.

O VENDEDOR DE OSSOS

Você dormiu. Acredito.

O ESTRANGEIRO

Talvez.

O VENDEDOR DE OSSOS

Dormiu. E chorou durante o sono.

O ESTRANGEIRO

Talvez.

O VENDEDOR DE OSSOS

Dormiu. E balbuciou um nome.

O ESTRANGEIRO

Talvez.

O VENDEDOR DE OSSOS

Dormiu. E riu-se.

O ESTRANGEIRO

Não sei.

O VENDEDOR DE OSSOS

Largue esta mala.

O ESTRANGEIRO

Por quê?

O VENDEDOR DE OSSOS

Você não vai embora.

O ESTRANGEIRO

Mentira.

O VENDEDOR DE OSSOS

Você nunca sairá destas terras.

O ESTRANGEIRO

Mentira.

O VENDEDOR DE OSSOS

Você está preso a estas terras. Como uma pedra presa à terra.

O ESTRANGEIRO

Miserável.

O VENDEDOR DE OSSOS

Esqueça.

O ESTRANGEIRO

Não posso. Nem um segundo sequer. Não posso.

O VENDEDOR DE OSSOS

Por quê?

O ESTRANGEIRO

Uma vez ela olhou-me e disse: Por que você fica sozinho em casa à noite? O que você fica esperando sozinho em casa à noite?

O VENDEDOR DE OSSOS

Não sei. Não sei o que você fica esperando sozinho em casa à noite.

O ESTRANGEIRO

Uma puta. Os teus seios.

O VENDEDOR DE OSSOS

Cale a boca.

O ESTRANGEIRO

Por quê?

O VENDEDOR DE OSSOS

Não sei. Mas cale a boca.

O ESTRANGEIRO

Eu disse: eu o amo.

O VENDEDOR DE OSSOS

Eu sei.

O ESTRANGEIRO

Não sabe.

O VENDEDOR DE OSSOS

Eu sei.

O ESTRANGEIRO

Nunca amei ninguém.

O VENDEDOR DE OSSOS

Mentira.

O ESTRANGEIRO

Era um cântaro de fogo.

O VENDEDOR DE OSSOS

Um raio.

O ESTRANGEIRO

Uma fagulha.

O VENDEDOR DE OSSOS

Espere. Que ela disse depois?

O ESTRANGEIRO

Calou-se.

O VENDEDOR DE OSSOS

Só isso?

O ESTRANGEIRO

Só. Riu-se. Eu sei. Riu-se com a boca cheia de arames.

O VENDEDOR DE OSSOS

Se eu a matasse.

O ESTRANGEIRO

Não.

O VENDEDOR DE OSSOS

Por quê?

O ESTRANGEIRO

Não podemos matar. Ninguém.

O VENDEDOR DE OSSOS

Por quê?

O ESTRANGEIRO

Não podemos. Eu já disse.

O VENDEDOR DE OSSOS

Por quê?

O ESTRANGEIRO

Não podemos.

O Vendedor de ossos movimenta-se em sinal de partida.

O ESTRANGEIRO

espere: diz-diz uma coisa: você é feliz?

O VENDEDOR DE OSSOS

não sei:

O ESTRANGEIRO

espere: diz-diz uma coisa: você é feliz?

O VENDEDOR DE OSSOS

não sei:

O ESTRANGEIRO

não casei: não casarei: não tenho filhos: não terei filhos: andarei longos anos pelas ruas da cidade: longos anos num quarto no centro velho da cidade: longos anos acocorado numa cama num quarto no centro velho da cidade: diz-diz: serei feliz?:

O VENDEDOR DE OSSOS

não sei: quem sabe…: eles não sabem: eles mentem: eu minto: mas o menino andará solto: solto pelas ruas: solto: um cigarro: você quer um cigarro?:

O ESTRANGEIRO

vou aocais-aocais: agora: é tarde:

O VENDEDOR DE OSSOS

espere: diz-diz uma coisa: você é feliz?

O ESTRANGEIRO

não sei: não: vou aocais-aocais: agora: é tarde:

O VENDEDOR DE OSSOS

espere: diz-diz uma coisa: você é feliz?

(Rudinei Borges)