Oficina Cultural Oswald de Andrade recebe o ciclo de debates Teatro é lugar de fala e o espetáculo “Arrimo”, do Núcleo Macabéa

Ciclo será formado por seis encontros com especialistas em artes cênicas e em narrativas voltadas a diversas vivências.

 Espetáculo “Arrimo” trará o itinerário corajoso de mulheres das periferias.

Arrimo - Juieta Bacchin
Arrimo, peça do Núcleo Macabéa, com dramaturgia e direção de Rudinei Borges dos Santos. Foto: Julieta Bacchin

Relatos de vida de artistas, com seus respectivos itinerários de criação e ativismo nas artes cênicas e direitos humanos vão compor o ciclo de debates Teatro é lugar de fala na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Serão seis encontros – nos dias 20 e 27 de janeiro, 3, 10, 11 e 17 de fevereiro – sempre às 19h. Gratuito, os interessados devem retirar os ingressos com uma hora de antecedência de cada dia.

 

Os encontros vão contar com Rudinei Borges dos Santos, dramaturgo e pesquisador do Núcleo Macabéa, na mediação do ciclo de debates. No dia 20 de janeiro, a Profª Dra. Andrea Paula dos Santos Oliveira Kamensky, da Universidade Federal do ABC (UFABC), estará na mesa “Ponto de Vida: cidadania de mulheres faveladas”, também título de um de seus livros pela editora Loyola (São Paulo: 1996); em 27/01 é a vez do tema “Lugar de fala e teatro de grupo” com Marta Baião, da Cia. Mal-Amadas Poética do Desmonte, artivista feminista e doutora em Artes Cênicas (ECA-USP).

Abrindo fevereiro, no dia 3/02 estarão Edi Cardoso, atriz, preparadora corporal e doula, e Ave Terrena Alves, dramaturga, poeta, performer e atriz transvestigênera, no encontro “Vozes Femininas e LGBTI no teatro brasileiro”; e a mesa de 10/02, sobre o tema “Vozes negras e ameríndias no teatro brasileiro”, trará a conversa entre a mestre em Ciências Sociais pela PUC-SP, atriz e diretora Dirce Thomaz, que criou e protagonizou peças como Eu e Ela: visita à Carolina de Jesus, e a atriz indígena amazonense Sandra Nanayna.

No dia 11/02 o tema “Vozes amazônidas e nordestinas no teatro brasileiro” vão movimentar o debate com o ator baiano do grupo A Jaca Est., Geraldo Fernandes, e Tenório Telles, poeta amazonense, doutorando em Literatura pela PUC-SP e curador da editora Valer; No encerramento, em 17/02, o produtor e ator Anderson Negreiros, o dramaturgo, poeta, diretor e pesquisador do Núcleo Macabéa, Rudinei Borges dos Santos, a atriz, produtora e professora de Arte na Prefeitura de São Paulo, Silvani Moreno, o ator e musicista Juh Vieira, e o ator Ícaro Rodrigues, formado pela Escola Livre de Teatro de Santo André (ELT), participarão da mesa “Grão – leitura dramática de histórias de vida”.

Dentro da temática de Teatro é lugar de fala, Núcleo Macabéa apresenta o espetáculo “Arrimo”

O ciclo de debates Teatro é lugar de fala ocorre paralelamente à temporada da nova peça do Núcleo Macabéa, a obra cênica “Arrimo”, com dramaturgia e direção geral de Rudinei Borges dos Santos. Entre 15 de janeiro e 21 de fevereiro, pelas quartas, quintas e sextas-feiras às 20h, e sábados às 18h, os espectadores poderão assistir ao espetáculo que traz o seguinte questionamento: Quantas mães sustentam sozinhas os filhos?

“Arrimo de família” é a expressão ouvida durante anos para traduzir a lida diária de mulheres Brasil adentro. Parte significativa da história não oficial do nosso país no século XX e XXI é marcada a ferro e fogo pela resiliência de matriarcas que recusam a miséria como condição imposta. Opondo-se ao signo da morte e da violência, elas trabalham para que os filhos não passem fome e encontrem no estudo talvez a única forma de saída da pobreza extrema. Arrimo é uma confissão franca e crua. Envolta da poesia e da liturgia dos cancioneiros da cultura popular, o espetáculo do Núcleo Macabéa narra o itinerário corajoso de mulheres das periferias.

O autor, Rudinei Borges dos Santos, busca nas próprias memórias a batalha de sua mãe por uma vida digna, trajeto de uma vida inteira enfrentando os arredores da pobreza e impedimentos tantos. Assim, encontra na escrita poética e autobiográfica os caminhos que traçam as linhas de Arrimo, obra de teatro inédita que versa sobre a travessia de uma gente na busca pela sobrevivência.

O Núcleo Macabéa se propõe como grupo brasileiro de estudo teatral com ênfase na tessitura dramatúrgica inédita e no trabalho do ator a partir de pesquisa da palavra poética, da memória e da condição humana.

A Oficina Cultural Oswald de Andrade faz parte do programa Oficinas Culturais da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciado pela Poiesis. A seguir, a programação completa do ciclo de debates e as datas da temporada do espetáculo “Arrimo”.

SERVIÇO:

Ciclo: Teatro é lugar de fala
Coordenação: Núcleo Macabéa

20/1 a 17/2 – segundas – 19h às 21h
11/2 – terça-feira – 19h às 21h
30 lugares
Retirar ingressos com uma hora de antecedência.
Classificação indicativa: maiores de 16 anos

Segunda-feira, 20 de janeiro, 19h

Ponto de Vida: cidadania de mulheres faveladas
Com a Profª Dra. Andrea Paula dos Santos Oliveira Kamensky (UFABC)

Segunda-feira, 27 de janeiro, 19h

Lugar de fala e teatro de grupo
Com Marta Baião (Cia. Mal Amadas Poética do Desmonte)

Segunda-feira, 3 de fevereiro, 19h

Vozes Femininas e LGBT no teatro brasileiro
Mesa com a atriz e preparadora corporal Edi Cardoso e a poeta, performer e atriz transvestigênera Ave Terrena Alves

Segunda-feira, 10 de fevereiro, 19h

Vozes negras e ameríndias no teatro brasileiro
Mesa com a atriz Dirce Thomaz e a atriz indígena amazonense Sandra Tariano.

Terça-feira, 11 de fevereiro, 19h

Vozes amazônidas e nordestinas no teatro brasileiro
Mesa com Geraldo Fernandes, ator baiano do grupo A Jaca Est., e o poeta amazonense, doutorando em Literatura pela PUC-SP e curador da editora Valer, Tenório Telles

Segunda-feira, 17 de fevereiro, 19h

Grão – leitura dramática de histórias de vida
Com o produtor e ator Anderson Negreiros, o dramaturgo e pesquisador do Núcleo Macabéa, Rudinei Borges dos Santos, a atriz, produtora e professora de Arte na Prefeitura de São Paulo, Silvani Moreno, o ator e musicista Juh Vieira, e o ator Ícaro Rodrigues, formado pela Escola Livre de Teatro de Santo André (ELT)

Ficha técnica:

Coordenação: Núcleo Macabéa
Curadoria e mediação: Rudinei Borges dos Santos
Apoio institucional: Poiesis Gestão Cultural, Oficinas Culturais e Governo do Estado SP
Realização: Núcleo Macabéa, Cooperativa Paulista de Teatro, Secretaria Municipal de Cultura SP, Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo.

Espetáculo: Arrimo
15/1 a 21/2 – quartas, quintas e sextas às 20h; e sábados às 18h.

Livre
Participação: Retirar ingressos com até 1h de antecedência.

Ficha técnica:

Criação: Núcleo Macabéa
Concepção, dramaturgia, direção de produção e direção geral: Rudinei Borges dos Santos
Elenco: Edi Cardoso, Geraldo Fernandes e Leandro Lago
Direção de atores: Murilo de Paula
Arranjos e música em cena: Juh Vieira
Figurinos e adereços: Claudia Melo
Iluminação: Decio Filho
Instalação cênica: Andreas Guimarães
Pesquisa e seleção de cancioneiro: Rudinei Borges dos Santos
Assistência de produção e contrarregragem: Ulyce Eluarió
Assistência de iluminação: Elizeu Kouyatè
Montagem de luz: Alex Duarte, Cristina de Cassia e Elizeu Kouyatè
Design gráfico: Artefactos Bascos
Fotos: Julieta Bacchin
Registro audiovisual: Cinefoto Colapso
Provocação nos ensaios: Alexandre Kavanji, Ana Paula Lopez, Donizeti Mazonas e Sandra Vargas
Revisão de texto: Adriana Silene
Apoio: Teatro Studio Heleny Guariba
Apoio institucional: Poiesis Gestão Cultural, Oficinas Culturais e Governo do Estado SP
Realização: Núcleo Macabéa, Cooperativa Paulista de Teatro, Secretaria Municipal de Cultura SP, Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo

Oficina Cultural Oswald de Andrade
Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo
Proximidades da Estação do Metrô Tiradentes – Linha Azul
Telefone: (11) 3221-4704
Funcionamento: de segunda a sexta-feira das 9h às 22h, e aos sábados das 10h às 18h
http://www.oficinasculturais.org.br